Interceptação da radiação solar em função do arranjo espacial e períodos de híbridos de milho

<p><b>:</b> O milho é a segunda commodity agrícola mais produzida no Brasil, ficando atrás apenas da soja, logo, apresenta grande importância para a economia nacional. Porém, é sensível aos efeitos do ambiente e responsivo às técnicas de manejo. Nesse sentido, o presente trabalho teve o objetivo de avaliar se a interceptação de radiação solar é alterada por diferentes arranjos espaciais e períodos de cultivos de híbridos de milho. O trabalho foi conduzido na Estação Experimental da Universidade Tecnológica Federal do Paraná – Câmpus Dois Vizinhos na safra agrícola 2016/2017. O experimento foi montado em esquema trifatorial 4x3x2, onde foram cultivados dois híbridos de milho, P30F53 e P1630, submetidos a três arranjos espaciais de semeadura: linhas simples de 60 cm entre linhas, linhas duplas de 60x30 cm entre linhas e linhas simples de 45 cm entre linhas. O terceiro fator a ser considerado foi o ciclo da cultura, subdividido em 4 períodos principais: P1, emergência até 12 folhas completamente desenvolvidas (V12); P2, V12 até início de polinização; P3, polinização até grão leitoso (R3) e P4, grão leitoso até maturação fisiológica. Foram feitas leituras semanais da radiação solar global e radiação fotossinteticamente ativa após a emergência do milho, utilizando os sensores SP 212 (Apogee) e S-LIA-M003 (Onset), respectivamente. Não houve diferença na interceptação de radiação solar e radiação fotossinteticamente ativa entre os arranjos espaciais de plantas, indicando que a realização desse manejo cultural pode ser dispensada para a cultura do milho. Durante as fases iniciais de desenvolvimento da cultura não houve variação na interceptação das radiações estudadas, somente após o início do período reprodutivo houve diferença para o fator período. O fator híbrido também apresentou diferença após a cultura entrar em florescimento, sendo o material P30F53 de maior capacidade de interceptação de radiação na densidade populacional estudada. A maior eficiência de interceptação do híbrido P30F53 é dada pelo maior ângulo de inserção da folha em relação ao caule quando comparado ao híbrido P1630, visto que esse último trata-se de material mais jovem, adaptado à altas populações de plantas. Existe relação diretamente proporcional entre radiação solar global e radiação fotossinteticamente ativa, uma vez que as variáveis se comportaram da mesma maneira entre os tratamentos.</p>