Estudo de caso de ocorrência de onda de calor intensa na cidade de Porto Alegre - RS em Janeiro-Fevereiro de 2010

A cidade de Porto Alegre (30S/50W) localizada no estado do Rio Grande do Sul, possui clima do tipo subtropical e é caracterizado por verões quentes e brandos. Segundo Araújo (1930), uma onda de calor deve ter um período mínimo de 3 dias consecutivos, com temperaturas acima da normal climatológica de uma determinada região. Mcgeehin (2001) e Laaidi et al. (2012), realizaram estudos sobre ocorrências de ondas de calor e constataram que estas quando persistentes são prejudiciais à saúde pública, afetando com mais intensidade a população vulnerável (crianças, idosos, com condições de vulnerabilidade socioeconômica ou/e que vivam em áreas urbanas). Fagner (1970) caracterizou o Conforto Térmico Humano (CTH) sendo quando a energia produzida pelo organismo humano for igual ao que é perdido por este corpo para o meio externo, variando de indivíduo para indivíduo. O objetivo deste trabalho é aplicar o Índice de Calor (HI) em uma ocorrência de onda de calor com duração de 8 dias na cidade de Porto Alegre ocorrida em 2010, utilizando dados de temperatura máxima diária e umidade relativa do ar obtidas nas estações meteorológicas do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) e dados de Reanalise do National Centers for Environmental Prediction (NCEP), a fim de gerar dados sinóticos associados. Resultados mostraram que os dias foram caracterizados por extremo desforto por calor, segundo o índice HI e grande contribuição das condições sinóticas para a manutenção durante a ocorrência de onda de calor.