Diferentes tipos de densidade de animais em gaiolas e diferentes enriquecimentos ambientais influenciam o comportamento e a performance física de galinhas poedeiras?

<b><i> </i></b>Altas densidades de alojamento são um fator preocupante para o bem-estar de poedeiras nos sistemas brasileiros de criação de aves comumente utilizados, ou seja, de gaiolas em bateria. A presença de enriquecimento ambiental pode contribuir nesse sentido, aumentando o repertório de comportamento das aves, diminuindo a agressividade entre elas e refletindo em menores danos econômicos ao produtor.<b> </b>Objetivou-se neste estudo analisar a performance física e o comportamento de galinhas poedeiras criadas em gaiolas convencionais em diferentes densidades e tipos de enriquecimento ambiental. Para tal análise foram utilizadas 240 galinhas poedeiras debicadas, da linhagem ISA Brown, com 19 a 60 semanas de idade. Os tratamentos foram definidos em função de 3 densidades de alojamento (450, 750 e 1125 cm²/ave) e tipos de enriquecimento ambiental (cordas, cortinas e sem enriquecimento). O delineamento foi inteiramente casualizado, em esquema fatorial 3x3, gerando assim 9 tratamentos (T1: 450 cm²/ave + cordas; T2: 750 cm²/ave + cordas; T3: 1125 cm²/ave + cordas; T4: 450 cm²/ave + cortinas; T5: 750 cm²/ave + cortinas; T6: 1125 cm²/ave + cortinas; T7: 450 cm²/ave, sem enriquecimento; T8: 750 cm²/ave, sem enriquecimento; T9: 1125 cm²/ave, sem enriquecimento), contendo 8 repetições. Foi avaliado semanalmente a integridade física e o comportamento das aves. Quanto à densidade de alojamento das aves, os resultados mostraram que o tratamento com 5 aves/gaiola e sem enriquecimento ambiental as aves evidenciaram maiores alterações nas penas e na crista. O uso das cortinas foi eficaz para preservar a condição das penas, sendo seu efeito mais pronunciado em gaiolas com 2 aves. Já as cordas diminuíram a incidência de aves com alterações no coxim plantar, principalmente nas densidades de 5 e 2 aves/gaiola. Conclui-se que o efeito da inserção de enriquecimento ambiental na integridade física das aves varia conforme a densidade de alojamento e contribui positivamente na saúde dos pés e na integridade das penas. As cortinas mostraram resultados promissores na integridade das penas nas gaiolas com 2 aves/gaiola e 1125 cm<sup>2</sup>/ave. Já as cordas melhoraram a condição do coxim plantar das aves em densidades de 5 e 2 aves/gaiola. Tratamentos com alta densidade, ou seja, com 5 aves/gaiola e 450 cm<sup>2</sup>/ave, causam supressão do comportamento e diminuem a qualidade das penas e o acesso da ave aos recursos disponíveis na gaiola.