Comportamentos de belly nosing e biting de leitões criados em ambiente enriquecido na fase de creche

<p>Objetivou-se com esse trabalho avaliar o efeito do enriquecimento ambiental sobre os comportamentos de belly nosing e biting em leitões na fase de creche. O experimento foi conduzido em uma granja comercial e foram utilizados 300 leitões distribuídos em dois tratamentos: T1 – baia sem enriquecimento ambiental (controle) e T2 – baia enriquecida com bolas de borracha. Para observação dos comportamentos foram selecionados aleatoriamente, 10 leitões por baia e as avaliações ocorreram na segunda, terceira, quarta e quinta semana da fase de creche, por meio de imagens capturadas com auxílio de câmera de vídeo. As imagens armazenadas foram pausadas a cada 15 minutos para observação e anotação dos comportamentos de belly nosing e biting. Não se observou diferença significativa para o comportamento de belly nosing. Com relação ao biting, houve diferença significativa, com frequência superior no tratamento sem enriquecimento ambiental. O tratamento com enriquecimento ambiental reduziu este comportamento comumente apresentado pelos leitões na fase de creche. Isso pode ser atribuído ao fato de que nesse tratamento os animais gastaram o tempo interagindo com o objeto enriquecedor. Em contrapartida, no tratamento com ambiente estéril os leitões redirecionaram a atenção para os outros companheiros da baia, apresentando maior ocorrência de comportamentos nocivos, como morder a cauda ou a orelha de outros leitões. O enriquecimento ambiental teve ação positiva no comportamento dos animais e melhorou as condições de bem-estar na fase de creche. </p>