Climatologia do conforto térmico humano durante o verão para a cidade de Pelotas-RS, parte 2: índice humidex

<p>Nos últimos anos têm-se buscado associar a influência de variáveis meteorológicas ao bem estar e a saúde do ser humano, inserido na área de pesquisa conhecida como Biometeorologia Humana. Dentre as suas áreas temos o Conforto Térmico Humano (CTH), que é caracterizada quando a energia produzida pelo organismo é igual ao que é perdido por este corpo para o meio. Para analisar as condições do ambiente que afetam a população são utilizados índices biometeorológicos que representam a ação conjunta de variáveis meteorológicas e pessoais sobre o corpo humano. Esse estudo tem como objetivo analisar o comportamento do CTH na cidade de Pelotas-RS. Dados diários, das 9h, 15h e 21h, das variáveis meteorológicas temperatura e umidade relativa do ar no período do verão nos anos de 1986 à 2015, foram obtidos através da Estação Agroclimatológica da Embrapa. Para estimar as sensações observadas pela população ao longo das manhãs, tardes e noites foi utilizada a aplicação do índice biometeorológico humidex. Os resultados mostraram que a maior parte do período estudado se encontra em estresse térmico por calor, considerando as sensações de pouco calor, calor e muito calor, principalmente no período das tardes, entretanto os períodos das manhãs e das noites apresentaram alguns momentos de estresse térmico por frio (sensação de pouco frio). Ressalta-se a ocorrência, em menor evidencia, de períodos de neutralidade térmica (períodos confortáveis) nos três horários estudados (manhãs, tardes e noites), mas principalmente nas noites com 30,5% dos dias.</p>