Avaliação do desempenho térmico de elementos construtivos e de temperaturas corpóreas de bezerros em abrigo individual não convencional

Este trabalho teve por objetivo o estudo do desempenho térmico de abrigos individuais para bezerros em aleitamento como também na avaliação da temperatura corporal dos animais alojados, promovendo a utilização da termografia como uma potencial ferramenta de análise. Nesse escopo, é proposta uma instalação não convencional para bezerros elaborada por um modelo wood frame de construção e composta por paredes em dupla camada de placas planas de fibrocimento-celulose e miolo de poliestireno expandido; forro confeccionado com painéis de partículas de saco de cimento desintegrado e embalagens longa vida; e cobertura de fibrocimento ondulado com inclusão de beiral frontal e lateral. O modelo foi comparado com um abrigo referência, constituído de placas de madeira compensada como vedação, cobertura de fibrocimento ondulado, sem forro e sem extensão. Foram avaliadas as temperaturas máximas (T<sub>max</sub>), médias (T<sub>med</sub>) e mínimas (T<sub>min</sub>) das superfícies de vedação interna, vedação externa e cobertura interna, utilizando imagens termográficas coletadas no período mais crítico do dia (das 11:00 h às 14:00 h). Também foram coletadas imagens termográficas para a avaliação das temperaturas corpóreas dos bezerros alojados nos abrigos, privilegiando as temperaturas T<sub>max,, </sub>T<sub>med e </sub>T<sub>min </sub> em áreas da fronte e do corpo. Em todas as superfícies dos elementos construtivos propostos foram obtidos os menores valores de temperatura no abrigo não convencional, destacando a eficiência da extensão da cobertura e dos materiais isolantes utilizados. Em destaque, o forro de painéis de partículas do abrigo não convencional promoveu uma diferença média de 3,1 ºC entre as temperaturas T<sub>max</sub> e T<sub>min </sub>deste elemento, enquanto a cobertura do abrigo referência apresentou um valor bastante elevado (18,7ºC). Para as temperaturas corpóreas, foram obtidas diferenças consideráveis em todas as condições avaliadas, tanto em regiões da fronte – diferença de 8,8ºC da T<sub>med</sub> entre os dois tratamentos - quanto em áreas do corpo – diferença de 2,6ºC. Concluiu-se que o uso de um sistema construtivo com materiais inovadores e a inclusão de beirais garantiu uma redução da temperatura de superfície das vedações, da temperatura ambiente e da temperatura corporal dos bezerros, o que refletirá nos índices de conforto térmico e produtividade destes animais.