Ambiência Pós-Porteira: Análise das principais condenações, em frangos de corte criados em galpões de pressão positiva e negativa

<p>As condenações por problemas de qualidade das carcaças provocam enormes perdas no setor de produção avícola mundial. O objetivo deste trabalho foi analisar as principais condenações totais e parciais na inspeção <i>post mortem</i> em carcaças de frangos de corte criados em galpões de pressão positiva e negativa. A pesquisa foi realizada entre junho a setembro de 2016 em uma empresa comercial, onde foram estudados 4 lotes de frangos de corte (2 lotes de galpões de pressão positiva e 2 lotes de pressão negativa). De cada um dos lotes estudados foi registrado no abatedouro as condenações parciais e totais de acordo com o Serviço de Inspeção Federal (SIF) do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA) referente a cada caminhão transportador estudado (n=4). Em cada caminhão foram transportadas 3888 aves, então os dados de condenações apresentados nesse estudo referem-se à avaliação aproximada de 15.552 aves, sendo que metade desse valor foi referente às aves criadas em aviários com sistema de pressão positiva e metade em pressão negativa. As porcentagens de condenação total das carcaças nos galpões de pressão positiva foram 0,28% e pressão negativa foram 0,33%. Já as porcentagens de condenações parciais foram 0,31% nos galpões de pressão positiva e 0,61% de pressão negativa. As principais perdas produtivas oriundas das condenações totais (aspecto repugnante e síndrome ascítica) neste estudo foram maiores nos galpões de pressão negativa em relação aos de pressão positiva, porém, a caquexia se apresentou 55,55% maior nos galpões de pressão positiva. Já nas condenações parciais, a síndrome ascítica manteve o mesmo padrão das condenações totais, sendo maior nos galpões de pressão negativa. Conclui-se com este trabalho que o valor médio da porcentagem de condenações totais e parciais foi 0,50%, abaixo dos resultados encontrados na literatura. Apresentando diferença estatística significativa (p < 0,05) entre os galpões na incidência de síndrome ascítica (condenação parcial) e lesões de asas, sendo maior os galpões de pressão negativa, e lesões de peito sendo maior nos galpões de pressão positiva. A principal causa de condenação em ambos os galpões foi parcial devido a contusão e fratura nas carcaças. Nos galpões de pressão negativa, as principais condenações foram aspecto repugnante e síndrome ascítica. Já nos galpões de pressão positiva, foram caquexia e celulite. </p>